Trabalhadores(as) aprovam “operação tartaruga” a partir de agosto no serviço público municipal de Palhoça

Os trabalhadores e trabalhadoras do serviço público municipal de Palhoça realizaram assembleia, na tarde desta quarta-feira, dia 5, para avaliar as reivindicações pautadas na data-base e os acordos feitos com a administração, mas que continuam sendo descumpridos pelo prefeito Eduardo Freccia.

Foi aprovado pela categoria o início de uma “operação tartaruga” a partir do dia 3 de agosto. A partir desta data, os servidores(as) cumprirão apenas uma parte do expediente. Juntamente com o sindicato, os trabalhadores(as) farão agendas de mobilização e manifestação pela cidade até que o prefeito cumpra as pautas reivindicadas. 

– Pagamento integral da insalubridade para os servidores da saúde;

– Pagamento do piso salarial da enfermagem na carreira;

– Pagamento da insalubridade e do piso salarial dos ACE e ACS na carreira;

– Reaproveitamento dos Agentes de Controle de Endemias para Agentes de Combate de Endemias;

– Melhoria das carreiras de motorista e guarda patrimonial;

– Adoção, pelo município, da legislação elaborada pelo sindicato em conjunto com a categoria;

– Fim da complementação salarial na educação;

– Direito de escolha de turmas na Educação Infantil;

– Revisão da lei do ACT;

– Direito do ACT de levar filhos em consultas médicas;

– Manutenção do espaço de 2,50m² por professor em sala de aula;

– Mais escolas e CEIs e menos “puxadinhos”;

– Desachatamento da carreira na educação;

A Assembleia aprovou ainda a convocação da categoria para os dias 10 e 11 de julho, às 18h na Câmara de Vereadores. A intenção é denunciar o descaso do prefeito Eduardo Freccia e o não pagamento dos pisos nacionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 + 9 =