Sitrampa lamenta mais um feminicídio na Grande Florianópolis; vítima é servidora municipal da capital

Nesta quinta-feira (24), véspera do Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher, mais uma notícia trágica de feminicídio na Grande Florianópolis. A professora Alessandra Abdalla, do NEIM Tapera, na capital, foi cruelmente assassinada a tiros pelo ex-companheiro quando chegava na unidade, próximo a outras professoras.

Alessandra foi morta porque o ex-companheiro, um policial militar, não aceitava o término do relacionamento. O assassino já havia ameaçado atirar nela anteriormente, e, por isso, uma medida protetiva em favor da professora já tinha sido emitida.

AlessandRa tinha 45 anos, trabalhava na rede pública municipal de Florianópolis há oito anos e deixa uma filha.

Este é mais um cruel e absurdo crime, que demonstra a importância de dar visibilidade a  campanhas pela eliminação da violência contra a mulher. Conforme o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, nos últimos dois anos, 2.695 mulheres foram mortas pela condição de serem mulheres – 1.354 em 2020 e 1.341 em 2021.

A luta pela igualdade de gênero não pode parar. Um ato por justiça para a trabalhadora e por todas as mulheres será realizado nesta sexta-feira (25/11), Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres. A manifestação ocorre a partir das 18h, no Largo da Alfândega.

O Sitrampa reafirma o compromisso do sindicato em lutar pela eliminação da violência contra a mulher nas diversas formas e contextos em que ela se apresenta.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

19 − 1 =