Mesmo após três ofícios enviados, prefeitura continua sem resolver os problemas da Escola Terezinha Maria Espíndola

Desde fevereiro deste ano, o Sitrampa vem denunciando problemas existentes na Escola Terezinha Maria Espíndola Martins, verificados durante visitas do sindicato naquela unidade de ensino.

Um ofício foi enviado ao Executivo relatando demandas emergenciais, como a falta de profissionais, entre eles, merendeiras. Atualmente, a escola atende 300 alunos e possui apenas duas merendeiras no período matutino e apenas uma no período da tarde. Faltam também Agentes de Serviços Operacionais que, em número insuficiente, não dão conta da demanda da instituição.

Também faltam aparelhos de ar condicionado na escola. A estrutura física necessita de manutenção, principalmente quando há ocorrência de chuvas, que provocam alagamentos no pátio e nas salas de aula.

O primeiro ofício com o relato detalhado de todos os problemas foi enviado em fevereiro, mas não foi obtida resposta da Prefeitura. Em março, novamente um documento foi enviado ao Executivo cobrando providências e igualmente não houve retorno. No dia 26 de maio, um novo comunicado por meio de ofício foi entregue à administração, que ainda permanece sem manifestar-se a respeito do assunto e tampouco adotar medidas para resolver os problemas apontados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1 + 7 =