Câmara votará urgência do piso da enfermagem na próxima semana

 

O projeto de lei que cria o Piso Salarial da Enfermagem, PL 2564/20, terá o pedido de urgência votado na próxima terça-feira, 22, pela Câmara dos Deputados. Aprovada a urgência, o projeto poderá ser votado em Plenário sem passar pelas Comissões – o que deixa a tramitação mais rápida.

 

A informação foi dada pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP/AL), nesta quinta-feira, 17, após reunião do colégio de líderes. Arthur Lira afirmou que o mérito do projeto ainda precisará ser discutido entre deputados e com o Senado. A votação do mérito ficaria para abril. Segundo o presidente, foi estabelecido um cronograma de trabalho de cinco semanas para que sejam discutidas fontes de recursos para o pagamento do piso.

 

Durante toda a semana, o Fórum Nacional da Enfermagem composto pela Aben, ANATEN, CNTS, CNTSS, Cofen, ENEENF e FNE, entidades representativas de milhões de profissionais da categoria, participou de articulações e reuniões com os deputados com o objetivo de pressionar os líderes partidários a pautar o projeto.

 

Além disso, em reunião na noite de ontem, o Fórum aprovou diversas medidas que serão realizadas nos próximos dias com o intuito de pressionar a Câmara dos Deputados a aprovar com urgência o projeto do piso da enfermagem e para que não haja alterações no texto que traga prejuízos aos profissionais. São elas:

 

– Fazer articulações com os deputados para garantir o quórum mínimo de votação da urgência do projeto;

– Fazer articulações com os líderes partidários para tentar reduzir o prazo do cronograma de trabalho;

– Mobilizar as entidades para que haja articulações presenciais na Câmara dos Deputados na próxima semana;

– Agendar reunião com o presidente do Senado para discutir fontes de custeio.

– Agendar reunião com as deputadas Carmen Zanotto (Cidadania/SC) e Alice Portugal (PCdoB/BA).

As entidades que compõem o Fórum da Enfermagem vão continuar dialogando e pressionando os parlamentares para que o piso salarial da categoria seja aprovado. É necessário que a categoria mantenha a mobilização ativa nas redes sociais.

 

Fonte: Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde (CNTS)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 × 1 =