Profissionais da rede de ensino de Palhoça deliberam pelo não retorno às aulas presenciais

Os profissionais da rede municipal de ensino de Palhoça deliberaram em assembleia, realizada na tarde desta terça-feira (16), que as aulas no município devem ser retomadas apenas de forma remota neste momento. A categoria também deliberou que as atividades presenciais devem ocorrer somente após a vacinação dos profissionais da Educação e da comunidade escolar.

 

A medida é necessária para barrar o crescente número de casos ativos de Covid-19 no município. A decisão visa garantir o acesso à educação pública municipal, e, ao mesmo tempo, proteger a vida dos profissionais, responsáveis e alunos.

 

Cabe destacar que o prefeito Eduardo Freccia falta com a verdade ao afirmar que as unidades de ensino passaram por reformas e estão preparadas para o retorno das atividades presenciais. A real situação aponta para a falta de estrutura adequada, ausência de fornecimento de EPIs, e, em alguns casos, até mesmo falta de água potável.

 

O número de servidores da Educação contaminados por coronavírus em Palhoça aumenta a cada dia, e o que torna a situação mais grave é a orientação dada pela prefeitura para que estes profissionais, mesmo positivados para Covid-19, continuem trabalhando.

 

O Sitrampa alerta: não há segurança sanitária e toda a comunidade está em perigo com o retorno das aulas presenciais.

 

Ainda conforme deliberação tomada em assembleia, a partir desta quarta-feira (17) não haverá mais atendimento presencial nas unidades de ensino de Palhoça. A orientação do sindicato é que os professores e demais profissionais dialoguem com a comunidade escolar alertando sobre o perigo do retorno nesse momento.

 

Novas orientações serão disponibilizadas nos canais de comunicação do Sitrampa.

 

Retorno só com vacina! 

Vacina a escola que a vida volta!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

6 + dezoito =